Desde Sempre by Tríccia Araújo


Desde sempre temi a tua ausência impregnada em minha pele, essa saudade tatuada delicadamente em minha nuca. Desde muito tempo temi encontrar no reflexo do espelho o teu sorriso bordado nos meus lábios, como se tudo que me cercasse partisse, antes, de ti. Temi o sal das tuas lágrimas traçando sulcos no meu rosto e o típico sotaque da tua língua se embaraçando à minha. Desde muito cedo temi nunca te esquecer. Por isso hoje, aceito a sina que me deste de te amar em silêncio, entre sombras e ausências sentidas. Eu simplesmente amo-te...!



(Tríccia Araújo)




3 comentários:

  1. o amor fincado em nosso peito, nos mostra a dor de que somos capazes de suportar..

    bjs.Sol

    ResponderExcluir
  2. De tudo o que vejo e leio nessa minha viagem virtual de internet, entrando e saindo de sites,blogs, espaços e mais espaços(alguns "vazios" que nem se pode denominar de espaço)eis que encontrei UM que que me cativou e me tomou o precioso tempo.Devemos sempre ser assim na WEB...Transmitir algo de prazeroso e que nos faça refletir.Afinal,VIVER ainda é o melhor "donwload" que a nossa essência pode fazer.Um abraço amigo do BRASIL DA PENA, Rubi Valente.

    ResponderExcluir
  3. Às vezes a pessoa vai, mas o amor fica.
    Dói, sangra, mas cicatriza. Afinal, se o amor não foi eterno, porque a dor haveria de ser?

    ResponderExcluir