Aprendi a amar-te by Bruno de Paula


"Aprendi a amar-te,
na doce pele de tua ausência.
Pensamentos doloridos ...
Desejo do beijo, não provado;
Do sonho, não vivido;
Do olhar, não refletido;
Do toque, não sentido.
Inquietos sentimentos,
que por ti não se calam.
Tanto a te dizer,
a te aquecer ...
Sem a tua presença
meus dias
não passam de um mero esboço,
a espera de teu colorir.
Mesmo assim,
vou rabiscando estrelas;
tecendo sonhos;
desenhando horizontes.
Mesmo sem compreender,
essa paixão se fortalece
nos braços da saudade e,
na dor da solidão. "

(Bruno de Paula)

Um comentário:

  1. Tão triste esse trem de amar na ausência.
    Bjs.

    ResponderExcluir